sábado, 10 de outubro de 2009

Em homenagem ao dia maravilhoso que surgiu...depois de tanta chuva

L'amoureuse

...Il semble que quelqu'un ait convoqué l'espoir

Les rues sont des jardins, je danse sur les trottoirs

Il semble que mes bras soient devenus des ailes

Qu'à chaque instant qui vole je puisse toucher le ciel

Qu'à chaque instant qui passe je puisse manger le ciel...

Jóias...feitas, de....legumes?

Se comprar jóia de verdade tá difícil pra você...dá uma olhada nesses anéis!










sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Bandeiras feitas de...comida!


Vamos dar um tempo nos risotos, e ver o que "rola" por aí...

Achei bem legal, olha só:

Alguns chefs australianos criaram uma campanha para um festival de culinária usando comida para formar as bandeiras de alguns países. O Sydney International Food Festival acontece no próximo mês na cidade australiana, e terá a presença de dezenas de chefs de diversas partes do mundo.

As bandeiras foram criadas usando comidas típicas de cada país.

 A bandeira do Brasil é criada com frutas como limão e abacaxi.


A da Itália é formada por massa, tomate e manjericão.


Já a do Japão tem um sushi.



Veja as outras...são incríveis!




Risoto de Abacaxi

Dando continuidade aos risotos tropicais...
Nada mais brasileiro que um risoto de abacaxi
Muita gente já fez e gostou...
Não tenha medo de arriscar, fica muito, muito bom e,
Acompanha muito bem qualquer carne, além de ter um visual fantástico!

Ingredientes:
1 abacaxi grande

1 cebola média picada em pedaços pequenos

2 colheres (sopa) de azeite de oliva

1 colher (sopa) de vodca

1/2 xícara (chá) de arroz arbóreo

1 colher (sopa) de salsinha

sal a gosto

Modo de Preparo:
Descasque o abacaxi, separe 4 fatias de 1,5 cm de espessura cada uma e reserve. Pique o restante em pedaços pequenos eliminando o talo central. Reserve. Leve ao fogo uma panela com 1 xícara (chá) de água até ferver. Mantenha aquecida. Em outra panela, refogue a cebola na metade do azeite de oliva. Adicione a vodca e deixe cozinhar por 1 minuto. Acrescente o arroz e o sal e refogue, sem parar de mexer, por 4 minutos, ou até os grãos ficarem brilhantes. Misture o abacaxi picado (com o caldo formado) e as ervas. Adicione, aos poucos (1 concha de cada vez), a água fervente e cozinhe, sem parar de mexer, por 25 minutos, ou até o arroz ficar ¿al dente¿. Raspe o fundo e as laterais da panela, acerte o sal e retire do fogo. Tampe a panela e sirva depois de 3 minutos. Enquanto isso, aqueça o azeite de oliva restante numa frigideira grande. Coloque as fatias de abacaxi reservadas e grelhe até dourar dos dois lados. Retire do fogo, distribua as fatias de abacaxi nos pratos e coloque por cima o risoto. Decore com salsinha.

Dicas:
Para deixar o risoto mais saboroso, aproveite as cascas do abacaxi, faça um chá e use-o no lugar da água para fazer a preparação.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Risoto de Morango e Champagne

Tem gente que não concorda...mas risoto de frutas combinam com o nosso país tropical...e o champagne dá um toque de sofisticação...uma receita pra impressionar alguém especial!

Você vai precisar de:

2 xícaras de arroz italiano tipo arbóreo
3 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola média bem picada
1 xícara de champagne
1 xícara de morangos lavados e picados
1 litro de caldo de legumes aproximadamente
3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
sal e pimenta-do-reino

Modo de Preparo:
Coloque em uma panela metade da manteiga e a cebola picada, leve ao fogo e refogue para que a cebola fique macia. Acrescente o arroz (sem lavar) e refogue por 2 minutos misturando bem. Regue com a champagne e deixe evaporar. Vá acrescentando o caldo fervente concha à concha, esperando a anterior ser absorvida. Mexa regularmente o risoto.  Em aproximadamente 18 minutos de cozimento o risoto estará al dente. Deverá sobrar uma película fina de líquido na superfície. Acerte o ponto de sal e pimenta-do-reino. Acrescente os morangos, o parmesão e a manteiga restante. Retire do fogo e misture bem.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Risoto de Tomates Secos


A história do risoto vocês já sabem...então vamos lá...

Separe:

2 xícaras (chá) de arroz italiano para risoto (arborio ou carnaroli)

½ cebola picada

100g de tomate seco, cortado em tiras

½ xícara (chá) de vinho branco, seco

6 xícaras (chá) de caldo de legumes

4 colheres (sopa) de manteiga

5 colheres (sopa) de queijo parmesão, ralado

folhas de manjericão  ou salsinha, se gostar

Modo de preparo:

1. Coloque o caldo numa panela e leve ao fogo alto. Assim que ferver abaixe o fogo. Se for usar cubos de caldo coloque apenas dois.
2. Numa panela (grande o suficiente para fazer o risoto), coloque metade da manteiga (duas colheres) e leve ao fogo baixo. Quando derreter, acrescente a cebola e misture bem com uma colher de pau, até que fique transparente 
3. Aumente o fogo, acrescente o arroz à panela e misture bem por 2 minutos
4. Junte o vinho e misture bem até evaporar.
5. Mantenha a panela com caldo em fogo bem baixo e a do risoto em fogo alto. Acrescente o caldo aos poucos, de concha em concha, mexendo bem entre cada adição com a colher de pau. Ou seja, coloque uma concha, misture bem até secar, junte mais uma concha de caldo e repita o procedimento por cerca de 15 minutos.
6. Verifique o ponto: o risoto estar úmido, cremoso e o arroz al dente, ou seja, durinho por dentro. Porém, se ainda estiver muito cru, acrescente mais uma concha de caldo. Na última adição, não deixe o arroz secar completamente, pois o resultado será um risoto ressecado no prato.
7. Junte o tomate seco e o parmesão e misture bem. Desligue o fogo, junte a manteiga e as folhas de manjericão, ou salsinha e tampe sem misturar.
8. Misture bem antes de servir e sirva o quanto antes.
9. Bom apetite!

Risoto de Damasco e Gorgonzola


Risoto é sempre igual: uma colher de azeite e uma de manteiga. Então um pouco de cebola bem picadinha até murchar.
Junto 01 xic de arroz carnarolli, dou uma refogada.
Junto então 1/2 xic de vinho branco, espero evaporar. Vou juntando um bom caldo de frango,carne ou legumes dependendo da situação.
Fogo baixo, mexendo sem parar. No meio do cozimento juntei damascos picados. Quantos? Uns 200g digamos...
Quando o arroz já estiver "al dente" coloquei queijo gorgonzola, mais uns 200g...mas se você não gosta, ou acha o sabor muito forte, coloca menos...ou use queijo brie, tenho certeza que vai ficar ótimo também!
Finalizei com 1/2 colher de manteiga para um brilho final.
Servi imediatamente, porque risoto frio ninguém merece!
Bom apetite!

Risoto de banana da terra e parmesão


Essa receita é da minha amiga Valentina, que toooodooo mundo já conhece do Trembom. As receitas da Valentina pra mim já vem com garantia de qualidade, então eu sempre sei o que esperar delas...e digo, com esse prato não foi diferente...simplesmente...DIVINO!

Para o risoto:
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
1 xícara de arroz arbóreo
Chutney de 2 bananas da terra
1 ½ l de caldo de legumes caseiro, fervente ( você talvez não precise usar todo o caldo
1 cebola média picada
100 ml de vodka
100 g de queijo parmesão ralado
Sal
Pimenta do reino

Para o chutney de banana da terra:
2 bananas da terra médias e maduras amassadas
1 colher de sopa de açúcar
Pimenta do reino moída
Canela em pó
Noz-moscada
1 colher (sopa) de açúcar mascavo
½ cálice de vinho branco
½ cálice de vinagre branco
1 colher (café) de curry
Sal
água

Preparando o risoto:
Derreta a manteiga e acrescente o azeite. Refogue a cebola picada até ficar transparente. Adicione o arroz e frite por um minuto. Deglaceie com vodka e deixe que evapore o álcool. Acrescente aos poucos o caldo e repita a operação durante 18 a 20 minutos. No final do cozimento, crescente o chutney e o parmesão. Prove o sabor do risoto e acerto o sal se necessário e em seguida teste o ponto do cozimento, deve estar “al dente”.

Preparando o chutney:
Em uma panela misture todos os ingredientes menos a água. Arrume-os cobrindo o fundo da panela e então coloque água o suficiente para cobri-los. Leve ao fogo baixo e deixe cozinhar, mexendo sempre, até adquirir a consistência de uma geléia.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Risoto de maçã verde e pimenta rosa


Essa receita foi fielmente seguida, a partir da receita que está no blog da Dadivosa  A foto não está boa, mas o risoto é uma delícia, prometo!

1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de azeite 
1 cebola picadinha 
1 xícara de arroz arbóreo 
1 xícara de vinho branco 
1 maçã verde em cubos (usei da variedade Granny Smith) 
2 colheres de sopa rasas de curry em pó 
1 colher de sobremesa rasa de gengibre em pó 
1 litro de água fervente 
2 colheres de sopa de passas sem sementes 
50 g de bom queijo parmesão ralado no ralo grosso
sal a gosto
pimenta rosa para salpicar

Como fazer:
Leve ao fogo uma panelinha com a água para ferver.
Enquanto isso, derreta a manteiga com o azeite e deite ali a cebola picada. Um bom truque é jogar uma pitada de sal, assim a cebola transpira e não se deixa dourar facilmente. Quando a cebola estiver transparente, junte o arroz e dê uma remexida para que os grãos fiquem envoltos na manteiga. Adicione também a maçã em cubos.
Chegou a hora das especiarias: polvilhe sobre o remexido os pós de gengibre e de curry. Resista à tentação de adicionar mais temperos nessa hora, pois os danados ficarão mais fortes à medida que se aquecerem. Mexa bem. Adicione o vinho, que a essa altura do refogado deve fazer uma verdadeira revolução de borbulhas, aroma e sons. Aguarde até que evapore e prossiga com a feitura do risoto.

Daqui para a frente, vamos adicionar a água fervente aos poucos. Uma concha de água, várias mexidas com a colher de pau até secar novamente, mais uma concha de água e assim sucessivamente até quase acabar a água. Os grãos de arroz ainda deverão estar um pouco durinhos, e é assim mesmo que deve ser. Adicione
as passas, remexa.
Quando achar que os grãos estão quase-quase cozidos, desligue o fogo. É que o risoto fica assim, uma sopa seca, mas os grãos ainda devem ser identificáveis pelos sentidos da visão, do tato e do paladar. Adicione o queijo ralado e remexa até perdê-lo de vista.
Prove e corrija o sal. Sirva imediatamente, com salpicos de pimenta rosa e um gostoso fio de azeite."

Risotto...uma arte

A palavra risotto provém de dialeto lombardo-piemontês. Uma "sopa enxuta", cremosa, na qual se forma uma liga entre os grãos devido à qualidade do arroz que libera amido suficiente na fervura para unir os grãos

O Risotto, de acordo com a literatura gastronômica, foi inventado em Milão em 1574

Um dos pratos típicos da cozinha italiana nasceu em Milão durante uma festa de casamento em 1574. O risoto com arroz branco ou Risotto alla Milanese foi inventado pela mão do mestre Valerio di Fiandra, responsável pela criação dos vitrais da Catedral de Milão. O artista era muito sábio no dosar e mesclar as cores em suas obras de arte e conhecido também por apreciar a boa comida e bebida de sua Terra. Fiandra ia seguido a uma taberna local onde podia apreciar um bom vinho. Sem imaginar, sempre que mestre Fiandra estava em meio aos vinhos e às delícias da cozinha italiana, sua filha observava escondida tudo o que acontecia naquele "local proibido".

Com o tempo, a jovem acabou apaixonando-se pelo filho do proprietário da taberna, e em setembro de 1574 os dois casaram-se. Durante os preparativos da festa de casamento, Fiandra deixou cair um pedaço de açafrão dentro do risoto. A lenda conta que a atitude de Fiandra foi uma demonstração de ciúmes pela filha. O resultado dessa mistura acidental foi conhecido no final da noite quando os convidados começaram a procurar o cozinheiro da saborosa invenção. Nascia o Risoto Branco ou Risoto alla Milanese (Risoto a milanesa), o mais tradicional de todos os risotos.

Tipos de arroz para risotto 

Há três tipos básicos de arroz italiano

Carnaroli
É um híbrido com mais amido, favorito dos italianos. O grão demora mais para cozinhar, mas mantém melhor o cozimento al dente e o resultado é mais cremoso

Arbório
É o tipo mais comum, por isso, o mais barato. Os grãos são grandes e de um branco mais perolado. Combina com risotos que levam porções maiores de carne

Vialone Nano
Grão menor, arredondado. Alguns o consideram melhor porque cozinha por igual. Bom para risotos delicados, com ingredientes miúdos ou frutos do mar 
 
Entendendo o Risotto

O Risotto é um prato exclusivo da Itália. Feito através de um método único e com variedades de arroz exclusivamente italianos. Sua técnica é imutável, porém permite fazer uma infinidade de receitas. O que muda é a base em que o arroz é cozido e os componentes usados durante o cozimento.

A Base do Sabor

A base de sustentação das camadas sucessivas é o que os cozinheiros italianos chamam de Sofritto: cebola, às vezes alho, refogada geralmente em manteiga ou no Azeite de Oliva, como alternativa. Este processo deve liberar uma medida razoável do gosto da cebola e, se presente, do alho. Se executado com timidez, a base de sabor será muito frágil, porém, se insistente demais, o sabor terá uma presença muito destacada na finalização do prato. O que diferencia os Risotos entre si é aquilo que você acrescenta ao Sofritto, podendo ser praticamente qualquer coisa comestível:

- Qualquer tipo de peixe, sózinho ou em combinações, com excessão dos de carne escura e dos oleosos; todos os frutos do mar.
- Qualquer carne fresca, moída ou cortada bem miúda, assim como carnes curadas, como linguiças, presunto e pancetta.
- Grande variedade de hortaliças e legumes: alcachofra, aspargo, pimentões, brócolis, endívias, cogumelos, feijões, etc.
- Queijos: somente um ou vários.
- Ervas: manjericão, hortelã, salsa, alecrim, sálvia, tomilho.
- Especiarias: pimenta-da-Jamaica, noz-moscada, açafrão, trufas, castanhas e amendoas e a grande maioria das frutas.
Os ingredientes são colocados na base desde o começo. A manutenção de suas texturas não é fundamental.
No final é adicionado Parmezão ralado e manteiga. A estes dois elementos dá-se o nome de Mantecare.

O líquido de cozimento

Os líquidos ideais para se cozinhar todos os tipos de Risotos, com excessão dos de frutos do mar, são os Caldos. Caldos de frango e legumes, e mesmo de carne, dão um sabor profundo e genuíno ao Risoto.E lembre-se: o caldo deve ser adicionado aos poucos, para que seu risotto receba a dose ideal.

Quando utilizar somente água, use apenas em Risotos de frutos do mar

O vinho não deve ser utilizado como elemento único, já que ele pode ser substituído por outra bebida alcoólica ou mesmo suco de frutas.

Não deixe de olhar algumas sugestões de risotto, aprovadas para seu Prazer...

domingo, 4 de outubro de 2009