quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Destrinchando - O novo livro de Julie Powell

Depois do livro “Julie & Julia”, que virou filme com Meryl Streep no elenco, a escritora americana Julie Powell volta a explorar em sua mais recente obra a mesma fórmula que a tirou do completo anonimato e a alçou à fama internacional: a exposição de sua vida pessoal. Para quem não se lembra, antes de ir para as telas do cinema, o projeto Julie/Julia era um blog, no qual Julie Powell, até então uma entediada secretária apaixonada pelo marido, postava as suas agruras com as caçarolas ao cozinhar 524 receitas do livro “Dominando a Arte da Cozinha Francesa”, de Julia Child, em 365 dias. De quebra, ela falava de sua relação com o marido, Eric, a ponto de ele, certa vez, proibi-la de postar sobre uma briga que tiveram. Em seu segundo livro, “Destrinchando – uma História de Casamento, Carne e Obsessão”, que chega às livrarias brasileiras nesta semana pela editora Record, Julie relata a experiência como açougueira, seu novo desafio na seara gastronômica. Ao mesmo tempo, divide com o leitor os sentimentos conflituosos em relação ao casamento com Eric e o caso extraconjugal com “D.”, como ela se refere na obra.
Em “Destrinchando”, a autora revela ainda mais sua intimidade do que no livro anterior. Ela conta que os encontros com D. começaram depois de um telefonema dele, na época em que finalizava o livro “Julie & Julia”, e que duraram dois intensos e apaixonados anos. Também revela que Eric descobriu seu caso. Mas que nem por isso se separaram. Julie e D. se comunicavam por SMS e não era raro ela se trancar no banheiro do apartamento que dividia com o marido para responder às mensagens instantâneas. “A mesma tecnologia que Eric e eu usamos para discutir listas de compras, transmitiam murmúrios obscenos, desejos chorosos e suspiros pós-sexo entre D. e mim.” A obra traz trechos que deixam explícito o sofrimento do marido, que, em determinada altura, começa a traí-la também. Ao mesmo tempo que corta carnes, como numa terapia, ela divaga sobre a relação – e a mulher que é – com cada um. “A Julie que sou com ele (Eric) é inconstante, forte demais e fraca demais, alguém protegida e temida, controladora e dependente. A Julie que D. conhece é um pouco diferente. Uma cúmplice; uma companheira de brincadeiras, travessa, sexy e intensamente amoral.”
Mas o que move alguém a se expor de tal maneira? Julie Powell responde por si. “Eu escrevi ‘Destrinchando’ para entender por que tive um caso”, disse, de maneira econômica, em entrevista recente. Na opinião do professor de Comunicação e Hipermídia da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), Eric Messa, a autoexposição é sinal dos tempos. “O limite entre privado e público mudou com o surgimento dos reality shows, blogs e redes sociais”, afirma. Estudioso do assunto, o consultor em mídias sociais Alexandre Inagaki atribui o fenômeno ao desejo das pessoas de se destacar na multidão. “Com as mídias digitais, em tese, qualquer um pode ter seus 15 minutos de fama”, diz. Graças a seu talento Julie, no entanto, conseguiu romper a barreira de tempo estabelecida por Andy Warhol

18 comentários:

  1. Na minha opinião é uma tentativa desesperada de manter a "fama" depois que o alvoroço do primeiro livro/filme chegou ao fim.
    Esse eu não vou ler, mas mesmo assim fiquei curiosa rs..rs..

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Renataaa vc de volta!! sabia que eu fui guia de turismo antes de adoecer, era cansativo mas bom demais, eu trabalhava para a agência do meu pai. Quanto ao livro eu não li o 1º, mas vi o filme, já esse 2ºachei a história bem interessante, mas agora o bom mesmo era poder morder aqueles biscoitinhos lá em baixo hummm, bjs
    Maura

    ResponderExcluir
  3. Renata:
    também só vi o filme e gostei mais por conhecer sobre a vida da Julia Child. Esse livro novo eu vou esperar prá ver se vai ser filmado, rsrs, pois não tenho interesse em saber das chifradas que o marido dela levou!
    Agora, concordo com a Maura: esses biscoitinhos...huuuuuummmmm!!!
    Bjus.

    ResponderExcluir
  4. Olá Renata!

    Assisti o filme semana passada, também gostei muito do filme e principalmente por conhecer a Julia Child que eu não conhecia. Esse fenomeno da exposição da vida real realmente ganhou muita força, passa do curioso para o sem graça num piscar de olhos. E ai, só se destaca o que realmente é muito interessante. Acho que esse não vai ser tão interessante quanto o primeiro...

    ResponderExcluir
  5. ainda não vi o filme...snif snif
    e esse novo livro já está na minha lista...rs
    Bjinhus e bom restinho de semana!!!

    ResponderExcluir
  6. Li o livro, ele até me incentivou com o meu blog, se vc ler lá no meu blog quem sou eu, incentivou por eu ser uma pessoa infeliz no meu trabalho, e como gosto de cozinhar resolvi fazer o blog como um refugio, agora sobre esse negocio de relacionamentos fora do casamento, não sabia não e não concordo com isso, não gosto mais, larga e parte para outra, não é simples assim como falar ou escrever, mas tem que ter força de vontade e opinião! Bjos Re

    ResponderExcluir
  7. Tbm vou esperar o filme, se é que vai ter, porque o primeiro livro tentei ler mas achei cansativo e o filme gostei muito.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Hehehe, a melhor parte foi ela dizer que escreveu o livro para entender porquê teve um caso! Podia ter escrito num diário, sem depois vender a história pra todo mundo. Eu vi o filme, e achei a parte da Julie Powell muito chata, podia ser um filme só sobre a Julia Child...

    ResponderExcluir
  9. Oi, Re,

    Pois é, acho que também não vou ler esse, rsrs. É que tomei a decisão de ler o maior número de livros clássicos possível, e o tempo é insuficiente mesmo para eles.

    Beijão e bom fim de semana, querida.

    ResponderExcluir
  10. com certeza um maravilhoso passatempo e motivo para pensar muito nos relacionamentos.

    ResponderExcluir
  11. com certeza um maravilhoso passatempo e motivo para pensar muito nos relacionamentos.

    ResponderExcluir
  12. Eu assisti o filme e gostei muito, agora esse novo livro dela...não sei não!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  13. Renata, não assiti e nem li o primeiro livre/filme, aliás estou péssima em leitura por falta de tempo, mais a história é interessante, agora esse segundo livro foi uma exposição total que no meu entender quebrou o encanto do mistério de uma paixão louca sendo que ela poderia manter essas páginas da vida dela em off se é que realmente foi só um episódio na vida dela, mais td bem vou tentar ler esse livro para ver que conclusão ela tirou disso tudo rsrsrsr. Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Concordo com a Welze...no mínimo nos leva a examinar e questionar mais sobre os relacionamentos.
    Vou tentar ler e ver a qual conclusão e o que ela tirou disso tudo!
    Valeu a dica!
    Bjuss!!!

    ResponderExcluir
  15. Ola,Renata.
    Que tentativa desesperada dessa mulher de manter a fama conquistada gracas a Julia Child.Poderia fazer esse livro mas sem expor o marido,que deveria dar um pe na B... dela.Muitas pessoas estao perdendo a nocao do certo e do errado e apelando para a exposicao exagerada de suas vidas,que afinal nem nos interessa.Grande beijo.zenaide storino.

    ResponderExcluir
  16. Oi,de novo.
    Voltei para te avisar que tem um selinho para vc la no lata,ta?
    Um otimo fim de semana para vc.zenaide storino.

    ResponderExcluir
  17. O primeiro eu não li, só vi o filme, mas esse não me interessou. Acho apelativo demais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Comprei e li o livro. Acho desnecessario expor o marido que me pareceu bom, publicamente. Comprei tb os livro de receita escrito pela propria Julia Child. Ainda não li.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo aqui,fique a vontade para deixar seu comentário!