domingo, 28 de novembro de 2010

Balé Nacional da China - Lanternas Vermelhas

Um maravilhoso espetáculo de balé ao qual tive o prazer de assistir ontem.
Mil vezes recomendo para você que aprecia a arte e o prazer da dança! Caso aconteça na sua cidade não perca, e se não puder assistir, deixo aqui esta pequena amostra:
Veja a reportagem do Jornal O Estado de Minas abaixo:

O mais badalado diretor do cinema chinês contemporâneo, Zhang Yimou (O clã das Adagas Voadoras e Heroi), aceitou o desafio de adaptar Lanternas vermelhas (filme que dirigiu em 1991 e teve três indicações ao Oscar) para a dança. Conhecido como cineasta que valoriza as cores (e o sangue), ele avisa que nesse espetáculo não será diferente. “No fim, por exemplo, a cor vermelha é jogada contra o branco, criando a cena da morte. Consigo forte contraste de cores.” Sobre a mesma passagem, a diretora artística do balé, Feng Ying, revela, em entrevista ao Estado de Minas: “Bem, a história é trágica e caracteriza a morte no fim. Mas, como você poderá ver, no balé até esse sangue é extremamente poético e bonito. A solução que Yimou encontrou para o final sangrento é de tirar o fôlego
Mais importante e tradicional companhia de dança chinesa, o Balé Nacional da China, criado em 1959, faz sua primeira turnê pelo Brasil. Passou por Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio e Brasília, e encerra as apresentações, amanhã e domingo, no Grande Teatro do Palácio das Artes. E por que nunca estiveram aqui antes? “Boa pergunta, só não sei a resposta”, diz Feng Ying, explicando que o problema principal é a distância, além da organização da agenda. “Não é fácil transportar 120 pessoas para o outro lado do mundo. Mas você pode ter certeza de que estaremos de volta tão breve quanto possível”, promete.
O fato de ser companhia estatal não resolve os problemas de orçamento do grupo. “Temos um patrocínio do governo que apoia o corpo de baile e o pessoal administrativo. Mas precisamos das turnês e de apresentações para completar os orçamentos,” ela explica. O grupo é imenso. São em torno de 100 dançarinos fixos, todos chineses. “Pensamos nossa companhia como muito peculiar e centrada nos costumes chineses. Mas não existe uma proibição de aceitarmos estrangeiros”, esclarece a diretora artística
Atualmente, conta Feng Ying, eles interpretam todos os tipos de dança.
Apenas estão mais concentrados “no período clássico e nas produções clássicas chinesas como Lanternas vermelhas.” Sobre o convite para o premiado Zhang Yimou dirigir e adaptar o filme, ela afirma: “Foi certamente um sucesso. É possível ver a grande influência do cinema no espetáculo”.
Agora, quer saber as diferenças entre o filme e a dança? Ou sobre as dificuldades para a adaptação? Ninguém melhor que o próprio Zhang Yimou para responder.
“A mais importante tarefa da adaptação é servir às necessidades do balé. Para criar espaço para o coreógrafo, temos que desenhar o set para a dança, e, com certeza, devemos simplificar a história, o que significa que temos de mudar o script para um pedaço de papel”, esclarece. Ele conta que desde o início do trabalho, tinha em mente uma imagem: “A de uma bailarina nos ombros de um ator da Ópera de Pequim. Um pas de deux entre essas duas figuras é a imagem que gostaria de construir nesse balé.”

7 comentários:

  1. é pura emoção, à flor da pele. boa semana

    ResponderExcluir
  2. Los chinos son muy buenos en este tipo de expectaculos, un saludo.
    JUAN

    ResponderExcluir
  3. Nossa que espetáculo Renata querida, amei, dei uma olhada no seu banana cake, nosso que divino, além da banana tem nozes o que deve ser maravilhoso, e seu pão de ervas está um pecado, parabéns, te desejo uma semana linda queridona, bj♥kas, ;)... Ana.

    ResponderExcluir
  4. Rê quando você não vem com uma receita MARA vem com essas dicas incríveis!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi, Renata querida
    Gosto muito desse tipo de espetáculo... me eleva a alma...
    Tenha uma noite de Domingo abençoada e feliz!!!
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir
  6. Ola,querida Renata.
    Que maravilha,amiga,fiquei babando .Tinha lido uma reportagem sobre esse espetaculo e fiquei chateada de nao estar ai para aprecia-lo.Mas valeu pelo petisco que vc dixou para nos.Uma feliz semana para voce.zenaide storino.

    ResponderExcluir
  7. Hi, dearest, (tô te imitando, nas saudações em inglês, rsrs)

    Eu adorei o filme e acho que gostaria até mais do balé, que é arte na mais alta concepção do termo, né?

    Um beijo e ótima semana!

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo aqui,fique a vontade para deixar seu comentário!