sexta-feira, 5 de março de 2010

Caracol de presunto e queijo

Garanto que você  nunca comeu um pãozinho como esse...ele desmancha na sua boca, e faz você querer mais um...e mais outro...e outro...

Fiz num dia, e no outro tive que repetir, pois o sucesso foi absoluto!

Olha só a receita...nem é dificil de fazer...

Massa:

• 500g de farinha de trigo

• 50g de fermento biológico fresco

• 100g de margarina

• 100g de açúcar

• 2 ovos

• 50g de queijo parmesão ralado bem fininho

• 1 pitada de sal

• 1 pitada de vanilina

• 1 copo de água

Recheio:

• 200g de margarina para folhar

• 180g de requeijão cremoso

• 400g de queijo prato

• 400g de presunto

• 100g de azeitonas verdes

Modo de preparo:

Em uma vasilha ou na batedeira, faça uma massa com 100g de farinha e 50 g de fermento e um pouco de água. Deixe descansar por 10 minutos. Após este descanso adicione o restante dos ingredientes e faça uma massa macia e lisa. Deixe descansar coberta com um filme plástico durante 10 a 20 minutos. Após o descanso abra a massa com ajuda de um rolo, abra na forma de um quadrado, passe a margarina sobre a massa, feche a massa em três partes iguais uma sobre a outra. Abra a massa novamente e passe requeijão cremoso, coloque o queijo, as azeitonas picadas e o presunto. Enrole como um rocambole e corte com uma espessura de 3 centímetros coloque em uma bandeja e deixe descansar por 10 minutos. Pincele ovos e coloque queijo parmesão e leve para assar em forno pré-aquecido a 180°C.

Rendimento: 12 unidades

Por: Felipe Abrahão (especialista em pães)

quinta-feira, 4 de março de 2010

O arroz selvagem...que nem arroz não é!

Eu servi assim...misturado com arroz branco e acompanhando filés ao molho de mostarda.

Ingredientes:
- ½ xícara (chá) de arroz selvagem, cru

- 4 xícaras (chá) de água
- 1 colher (chá) de sal

- 1 xícara (chá) de arroz branco, já pronto

Modo de preparo:
1. Coloque a água e o sal numa panela. Leve ao fogo alto.
2. Quando ferver, abaixe o fogo, acrescente o arroz selvagem, mexa e tampe a panela. Deixe cozinhar por 45 minutos.
3. Retire do fogo e escorra a água. Misture com o arroz branco e sirva quente.

Saiba mais...

O arroz selvagem tem conquistado adeptos em todo o mundo. Carregado de sofisticação, atrai por sua aparência, sabor e aroma diferenciados. Os grãos são escuros (marrons e pretos) e seu comprimento é três vezes maior que o do arroz comum. Exala um aroma parecido com ervas, que remete ao seu ambiente natural – os lagos e rios dos Estados Unidos e Canadá. 
Suas qualidades nutricionais também chamam a atenção. É pobre em gorduras e rico em proteínas, lisina (um aminoácido) e fibras. É também uma boa fonte de potássio, fósforo e vitaminas (tiamina, riboflavina e niacina), de acordo com o HealthNotes. 

O arroz selvagem é a semente de uma gramínea aquática – e, portanto, não é arroz. O registro de sua utilização é bastante antigo. Era o alimento básico dos índios Chippewa e Sioux.
Devido ao apelo exótico e ao elevado valor nutricional, em comparação com o arroz branco, o arroz selvagem ganhou popularidade. Atualmente, a província de Saskatchewan é a maior produtora do Canadá e o estado de Minessota é o maior nos EUA.
O cultivo comercial do arroz selvagem deve seguir padrões para manter as características rústicas do grão. Os produtores de Minessota, por exemplo, precisam de uma licença para plantar. Além disso, a colheita, que ocorre em setembro, deve ser realizada com canoas, igual os índios faziam. Enquanto os canadenses normalmente colhem o grão em áreas naturalmente submersas, os estadunidenses o plantam em campos irrigados. A planta tem estágios bem distintos de desenvolvimento e requer muitos cuidados, especialmente com as condições da água e clima.
Os procedimentos pós-colheita também são bem particulares. O grão, que é colhido verde, é disposto ao sol e sob a água em fileiras, para perder a clorofila; depois de maturado, é seco, descascado (o arroz preto é a semente) e levemente tostado. Pode então ser transportado e armazenado
No Brasil, os consumidores podem encontrar o arroz selvagem nos supermercados, sob as marcas Tio João e Blue Ville, dentre outros. O preço é bem mais elevado que o do arroz agulhinha (em média 3.500% mais caro). Uma dica para não pesar no bolso, aproveitar as qualidades nutricionais e dar requinte à refeição é misturar o arroz selvagem com o arroz branco, já cozidos, num único prato.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Dançar melhora a saúde física e mental

As gravuras são de Fernando Botero, pintor e escultor colombiano.Suas obras destacam-se sobretudo por figuras rotundas, o que pode sugerir a estaticidade da humanidade. Há de se perceber uma crítica social, especilamente no que diz respeito à ganância do ser humano.
 
A obra do pintor das figuras gordinhas e amáveis retratadas em cenas do cotidiano é facilmente reconhecida até por quem não costuma freqüentar galerias de arte.
"Entregue-se à dança e tenha uma vida muito mais saudável e plena! Esse é um remédio natural, que garante saúde física e mental aos seus adeptos. E, para ajudar ainda mais, com a grande variedade de ritmos, a dança revela que não tem contra-indicação!

É recomendada para crianças, jovens, adultos e também para a turma da melhor idade. Basta escolher o estilo e encarar as aulas, que são realizadas em clubes, academias e salões de dança.

A lista de benefícios da dança parece não ter fim. Estudiosos comprovam que dançar ajuda na tonificação muscular, na melhoria da flexibilidade, espanta o estresse, ajuda na perda de peso, no controle do colesterol e no condicionamento físico. Além de ser um ótimo exercício para estreitar relacionamentos, combater a depressão, promover a diversão e aumentar a disposição e autoestima das pessoas.

E para mostrar que dança é saúde, veja abaixo o consumo de calorias, em algumas modalidades de dança:

• Dance, Latino, Mambo e Salsa: de 264 a 528 calorias consumidas por minuto (aproximadamente)

• Rápido, Balett e Twist: de 288 a 576 calorias consumidas por minuto (aproximadamente)

• Lento, Valsa e Foxtrot: de 144 a 258 calorias consumidas por minuto (aproximadamente)

Agora que você já sabe de alguns dos benefícios da dança, por que não arriscar e dar os primeiros passos?

Fonte: http://www.uai.com.br/

terça-feira, 2 de março de 2010

Inventando moda: tortellinis de frango defumado com molho de gorgonzola

Resolvi testar as minhas aptidões italianas, e até que não me saí mal...achei que minhas massinhas não ficaram muito feias...
O recheio que eu usei não tem nada de tradicional (frango defumado com requeijão), muito menos o molho (gorgonzola com creme fresco e um toque de noz moscada), mas a combinação de uma coisa com a outra me satisfez, e isso é que vale!
Se você gostou da idéia, pode fazer, não vou te desapontar não!!!
Para massa caseira, uso 01 ovo para cada 100g de farinha. (metade de farinha de trigo especial e metade de farinha de grano duro) + 1/2 colher de café de sal . Trabalhe a massa com energia mas sem sovar. Se ainda estiver muito seca, acrescente um pouquinho de água. Quando desgrudar da sua mão e estiver lisa mas não elástica, você vai cobrir com um pano ou plástico e deixar por meia hora antes de trabalhar com ela, isso é muito importante!
Essa proporção é a mesma para massas caseiras em qualquer formato.
O recheio eu fiz assim: carne de frango defumado passado no processador com requeijão cremoso, e temperos ou ervas.
E o molho, nada mais é do que 100g de gorgonzola para cada 250ml de creme de leite fresco + uma pitada de noz moscada,

Espero que tenha sido clara, mas se alguém se interessou e não entendeu, levanta a mão!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Comida Mexicana - A minha preferida!

Gostaria de apresentar a vocês meu restaurante preferido em BH...é o único mexicano que temos aqui nessa pequena cidade!
Pra mim é uma pena, já que a comida mexicana é uma das que mais gosto!
E então, aí está:
A margarita - meu drink preferido!
Tortillas chips com guacamole
Nachos Fiesta - Tortillas de Milho com carne desfiada, pasta de feijão, guacamole e queijo derretido
Vira e mexe, a gente acaba pedindo a mesma coisa...
Um pouquinho da decoração mexicana