sábado, 22 de maio de 2010

A Maravilhosa obra de Anna Kostenko

Anna Kostenko  nasceu em 1975 em Kiev, na Ucrânia, e viveu e trabalhou na Cracóvia e na Polónia desde 1991. Ela se formou na Academia de Belas Artes de Cracóvia, onde estudou pintura 1993-1998. Ela teve três exposições de obras de arte em Jorgensen e criou muitas belas pinturas desde o seu lançamento em 1999. Sua fascinação com as diferentes culturas levou a extensas viagens que inspiram seu trabalho, que tem sido demonstrado em vários países. Suas pinturas parecem fotografias, mas não são, há quem duvide! É importante notar sobretudo a perfeição dos espelhos d'água e da vegetação.
Deixo pra todos votos de um excelente fim de semana, aproveitem!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Filé de Peixe com Molho Branco e Banana

Ta bom, eu sei...receitinha velha, manjadíssima...é...aquele peixe delícia....isso mesmo! mas tá aqui so pra vocês lembrarem dele, porque é sempre tão gostoso...mas por favor, não deixem de fritar as bananas...não façam como eu, que fiquei com preguiça de fritar minhas bananas...mas mesmo assim o peixito ficou foi bom e pronto, isso é que vale!
Faz assim ó:

Pega o filé de peixe que você gosta...tempera com vinho branco, sal, pimenta branca e o que mais você tem costume, uai!
Deixa ele lá, enquanto vai fazendo um molhinho bechamel básico:

- 2 colheres de manteiga, deixa derreter, acrescenta 1 colher de farinha, deixa dar uma dourada, bem de leve, por favor...vai acrescentando, aos poucos, (que é pra não empelotar), 1/2 litro de leite, e vai mexendo bem depressa...enquanto engrossa tempera com sal e noz moscada. Tá pronto seu molho branco!
Deixa ele ali, mas não esquece de ir mexendo pra não criar aquela película hein?

- Coloca azeite e manteiga (em proporções iguais) na frigideira, espera esquentar e vai grelhando o filé de peixe.

- Agora, muito importante:

Deixa sua preguiça de lado, e faça o favor de grelhar suas bananas ok?
Uma pra cada filé que vc for fazer...

Agora sim, com tudo pronto, você pode montar seu prato:

- O filé de peixe grelhado, por cima as bananas fritinhas, o molho branco, uma generosa porção de mozzarella ralada e...forno,maçarico, microondas...depende da sua coragem...o importante é que você fique feliz!

- Ah, num esquece do verdinho não, tá?

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Carne de Sol na Moranga

Um clássico da cozinha brasileira...A moranga recheada é sempre eleita aqui em casa quando se pensa em mesa farta, com muitos convidados! Fácil de fazer, e de visual sempre elegante, ela é sempre benvinda!
Os recheios variam conforme a preferencia dos comensais...Frango, camarão, ou carne de sol, como foi o caso dessa vez!

Essa receita do Cybercook é perfeita, mesmo pra quem não tem grande experiência na cozinha, fica bem fácil, olha só:

Ingredientes:

-1 kg de carne seca
-2 colher(es) (sopa) de manteiga
-2 unidade(s) de cebola picada(s)
-4 unidade(s) de tomate picado(s), sem pele(s), sem sementes
-1 lata(s) de Molho de tomates
-quanto baste de cheiro-verde
-quanto baste de sal
-quanto baste de pimenta-do-reino preta
-1 caixinha(s) de requeijão culinário
-1 unidade(s) de abóbora moranga

Deixe a carne seca de molho por um dia. Se for carne de sol, não precisa tanto. Cozinhe até que amacie. Desfie. Refogue na margarina ou manteiga as cebolas, junte a carne desfiada, os tomates sem pele e sem semente picados e o purê de tomates, continuando a refogar, juntando um pouco de água (1/4 de xícara) para o molho pegar o gosto. Tempere com salsa e cebolinha. Prove o sal, junte pimenta. Você pode temperar também com tempero em pó (tipo grill), a seu critério, pois a questão de tempero é muito pessoal. Pegue a moranga já preparada, coloque 1/3 caixa de catupiry no fundo, despeje metade da carne, coloque um terço do catupiry, despeje o restante da carne, coloque o restante do catupiry, feche e leve ao forno por 20 minutos. Sirva quente. Preparo da moranga: Compre uma grande. Olhe bem para ver se vai caber o recheio...Se for grande demais vai sobrar espaço. Lave-a com uma escovinha para tirar toda a terra. Abra-a por cima (já fez uma para o dia da bruxas? É igual). Posicione a faca inclinada para fora, pois assim vai tirar a tampa de modo que ela feche depois - o buraco tem que ficar menor que a tampa, claro. Com uma colher e as mãos tire as sementes e os fios - são os piores para tirar. Coloque num tabuleiro e leve ao forno médio, até que, espetando um garfo, ele entre. Não a deixe amolecer demais, pois pode quebrar na hora de rechear. O tempo de cozimento vai depender do tamanho da moranga. Quando tirar, prove a carne da moranga para ver se está macia, mas lembre-se que depois de recheada vai ficar mais um pouco no forno.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Bolo de Milho


Um bolo de milho pra tomar com café... bolinho mineiro, do blog da Nani, lá ela diz que a textura do bolo vai depender de como estão as espigas do milho que você vai usar. O meu ficou com textura de bolo mesmo, acho que as espigas estavam mais secas...se o milho estiver mais novo, ela diz que o bolo fica mais com textura de pudim.
Recomendo muito, se você também é daqueles que precisam de ter sempre um bolinho pra alegrar sua mesa!

Ingredientes

3 espigas de milho
4 ovos
2 xícaras (chá) de leite
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de óleo
1/2 xícara (chá) de fubá
1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) bem cheia de fermento em pó
1 pitada de sal
Queijo a gosto (eu usei 1/2 xicara de queijo curado)

Modo de fazer

Retirar os grãos de milho da espiga.
Bater tudo no liquidificador ( menos o queijo).
Misturar o queijo ralado em ralo grosso.
Colocar em forma ( mais ou menos 30cm redonda) untada e enfarinhada.
Leve ao forno pré-aquecido médio por mais ou menos 30 minutos. Logo após aumente o forno para dourar.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Lapônia - Terra do Papai Noel e da Aurora Boreal - Blogagem Coletiva, O Branco

Neste último dia da blogagem das cores, temos o branco..Então, convido meus leitores a voarem até a Lapônia, a terra do Papai Noel, e da Aurora Boreal...Venham comigo!
A região da Lapônia, na Finlândia, figura na história como a terra originária da lenda do velho Nicolau, o Papai Noel. Mas seus atrativos vão muito além dos roteiros que envolvem o bom velhinho fantasiado por crianças do mundo inteiro. A começar pela geografia, a Lapônia não está apenas em território finlandês. Os seus quase 400 mil quilômetros quadrados, localizados acima do Círculo Polar ártico, avançam pela Suécia, Noruega, além de parte da Rússia. O perfil poderia sugerir uma monótona paisagem gelada, mas surpreende qualquer visitante afinado às belezas naturais e desprovido de receios com o frio. Isso porque, quase toda área --- ou exatos 388 km2 --- são formados por montanhas, lagos, florestas boreais, tundras (a vegetação típica dos árticos) e relevos cuja variedade salta aos olhos dos turistas.
Essa pitoresca região é habitada por cerca de 50 mil lapões, o índio nórdico cuja origem étnica remonta 2.500 anos de história na Escandinávia. Em grupos espalhados pelos meandros da Lapônia, esses nativos vivem do rebanho de renas e porcos. Alguns ainda mantêm hábitos nômades. Outros, com o turismo, passaram a comercializar o artesanato que confeccionam com habilidade.

Mas são os fenômenos naturais que tornam a viagem à Lapônia uma experiência singular, seja no inverno ou no verão. Muitos podem não ter ouvido falar da região, mas da fabulosa terra do Sol da meia-noite, com certeza. Por causa da inclinação da Terra e de sua rotação em torno do Sol, regiões polares como a Lapônia vivem imensos contrastes entre dias de verão e de inverno. No primeiro caso, os dias são intermináveis e para conseguir dormir os habitantes locais cobrem janelas ou qualquer fresta insistente com tecido preto e grosso. 

Em julho, no ápice do verão no Hemisfério Norte, a Lapônia assiste ao "Sol da meia-noite", que dá uma volta inteira no horizonte, sem nunca desaparecer ou subir muito. O fenômeno é o deleite de turistas dos cinco continentes, que podem passear a qualquer horário por Rovaniemi, a cidade âncora da Lapônia, ou mesmo, esticar nos tragos. A língua predominante é o finlandês, mas o inglês é bem aceito. Há também a festa do Sol da meia-noite, cuja tradição manda que todos se dirijam a um lugar ao ar livre para dançar, cantar e beber entre parentes e amigos. À meia-noite todos se voltam para o horizonte, acendem uma fogueira e esperam, em vão, pelo pôr-do-sol.
A Vila do Papai Noel 

Cerca de 500 mil turistas por ano visitam a Vila do Papai Noel, localizada nas imediações de Rovaniemi. O local é a segunda maior atração da região, perdendo apenas para o "Sol da meia-noite". Na vila, além da Casa do Papai Noel, estão lojinhas, restaurantes e demais atrações do velhinho de barbas longas e brancas. De lá, pode-se mandar cartas para crianças de todos os países e em qualquer língua.
O Papai Noel da Lapônia recebe aproximadamente 700 mil cartas por ano, originadas de cerca de 150 países, quase todas com pedidos de presentes, sobretudo brinquedos. 
Fontes: http://lugareslindosefantasticos.blogspot.com
http://grupoviagem.uol.com.br
http://pt.wikipedia.org