sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A Inveja

A Inveja na história da humanidade

A inveja é um dos sentimentos mais difusos, mas ao mesmo tempo é o que temos maior dificuldade em admitir. É o único pecado capital completamente inútil (ao contrário da gula ou da luxúria); no entanto, é tão poderoso que provoca grande sofrimento em quem o experimenta. Psicólogos e sociólogos ainda não sabem exatamente o que é a inveja nem de onde ela vem. Mas, na história da humanidade, a inveja tem sido a causa de grandes realizações.

A execução dos afrescos da abóbada da Capela Sistina, por exemplo, foi confiada a Michelangelo diante da insistência do grande arquiteto e pintor Bramante (1444-1514). Este último, que invejava o talento e a qualidade do trabalho de Michelangelo, estava convencido de que a pintura em tetos era o seu ponto fraco. Acreditando que Michelangelo não seria capaz de realizá-la, usou de sua influência para que a obra fosse encomendada ao rival. Resultado: Michelangelo criou uma das mais extraordinárias obras-primas da história da arte.

Como nasce a inveja? Comecemos pelo próprio sentido da palavra: ela vem do latim invido, de olhar mal, ou melhor, de mau-olhado (na Itália meridional, tirar o mau-olhado significa expulsar a inveja). O invejoso lança um olhar fulminante sobre o objeto invejado. Eis por que, quando sentimos inveja de uma pessoa, não conseguimos enxergar um único lado positivo nela. Não por acaso costuma-se dizer que a inveja seca. Lembram-se da expressão "olhar de seca-pimenteira"? O sociólogo italiano Francesco Alberoni, no livro Os invejosos, escreve: "O invejoso diminui o sucesso dos outros, sustentando que ele é fruto de uma injustiça. Porém, se o invejoso estivesse vivendo as mesmas condições e recebendo o mesmo reconhecimento que a pessoa alvo de sua inveja, ele diria que o seu sucesso seria merecido."

Quem é mais invejoso? Muitos psicólogos costumam dizer que são os homens. Uma pesquisa revela que 22% dos entrevistados dizem sentir inveja de quem faz viagens longas, 39% admitem cobiçar a companheira do colega, 12% invejam o sucesso profissional, 6%, o carro e 3%, quem tem uma casa do sonho.

Os talentosos correm mais risco de ser invejados do que as pessoas comuns. Segundo o filósofo grego Platão, Sócrates foi condenado pelos democratas que estavam no poder por pura inveja, simplesmente porque ele tinha conquistado a felicidade completa que advém de uma grande sabedoria. Por sua vez, William Shakespeare afirmava que na Roma Antiga os conspiradores assassinaram Júlio César movidos também por pura inveja.

A história bíblica de Caim e Abel é um desses exemplos: Caim sente ciúmes da atenção que Deus dá a Abel. Sentindo inveja por acreditar que seu irmão é o preferido do Senhor, Caim assassina Abel.
Zeus, o deus supremo da mitologia grega (Júpiter para os romanos), era muito veemente: de tal modo invejava a felicidade e a plenitude do homem que decidiu dividi-lo em dois. Assim, a partir disso, cada um de nós está condenado a procurar sua outra metade.
A verdade é que a inveja é quase sempre um sentimento inerente às pessoas dotadas de talento, pois é dentro desse espírito competitivo que elas encontram o combustível para fazer cada vez melhor.
Uma das características do invejoso é manifestar desprezo pelo objeto invejado. A fábula A raposa e as uvas, de Esopo, ilustra bem essa situação: não podendo alcançar as uvas que pendiam do alto da parreira, a raposa vai embora afirmando não querer as frutas porque elas não estavam maduras.
E Finalmente...a história de Lúcifer...
O maior pecado de Lúcifer foi a inveja: queria ser Jesus e, por isso, acabou no inferno.

Essa postagem faz parte da Blogagem Coletiva - Sentimentos - proposta pela Glorinha do Blog Café com Bolo.

Fonte: http://www.terra.com.br/revistaplaneta

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

A Verdadeira Lasagna a Bolognesa

Essa é uma lasagna caseira, sem nada de mais...
Só o que tem aqui de diferente: é o verdadeiro molho a bognesa, seguindo as especificações da Câmara de Comércio da cidade de Bologna. (vejam o conteúdo da reportagem que saiu no GNT no final do post).

Te garanto que dá toda uma diferença...e massa feita em casa também é muito melhor, você não acha?

Ingredientes:

300g de cartella de boi (carne moída)
150g de pancetta (bacon)
50g de cenoura
50g de aipo
50g de cebola
5 colheres de sopa de molho puro de tomate
1/2 copo de vinho branco
200ml de leite integral
Sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo:

Coloque a pancetta picada em uma frigideira, deixando cozinhar na própria gordura. Pique a cenoura, o aipo e a cebola e junte com a pancetta, refogando lentamente. Acrescente a carne e mexa até começar a fritar. Junte o vinho e o tomate, deixando ferver durante duas horas. Nesse período, vá acrescentando, aos poucos, o leite, o sal e a pimenta.
As massinhas secando...
Pra massa caseira, eu uso meia medida de farinha de trigo especial e meia medida de farinha de granum durum e pra cada 150g de farinha 01 ovo. Amassar bem e se preciso, completar com água gelada até dar o ponto.
A matéria que saiu aqui: http://gnt.globo.com/Gourmet

"A receita legitimada pela Coldiretti foi registrada em 1982 na Câmara de Comércio da cidade de Bolonha. E os ingredientes vão muito além de carne e tomate: o molho leva bacon, manteiga, cenoura, cebola, aipo, ervas, alho, vinho branco e leite. “Ficamos chateados quando vemos gente ao redor do mundo jogando de tudo na panela. Gostamos de fazer o molho de forma simples e correta”, disse o chef Adriano Cavagnini, em entrevista ao site da BBC
Você já parou para pensar se a massa à bolonhesa que anda comendo por aí é a legítima receita das mammas e nonnas? Pois os integrantes da Coldiretti, considerada uma das mais importantes associações de produtores agrícolas da Itália, lançaram uma campanha pela volta do verdadeiro molho bolonhesa. Segundo um comunicado no site da organização, o termo bolonhesa é o mais usurpado da cozinha italiana, sendo utilizado no mundo inteiro para indicar molhos de procedência duvidosa, vendidos em latas ou caixas.
Mas os erros não se restringem ao preparo do molho. Quem acha que o espaguete é o macarrão ideal para ser saboreado à bolonhesa está cometendo outra heresia: de acordo com a Coldiretti, a massa recomendada é o tagliatelle, de preferência com 8 milímetros de espessura. E, na hora de servir, nada de levar para a mesa duas travessas. A tradição manda que o molho seja misturado à massa ainda na panela."

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Aperitivo de Tomatinhos Cereja

Isso é só uma idéia não uma receita, mas é gostosinho...pra acompanhar um bom vinho, ou uma cerveja gelada...

Mini mussarelas de búfala, depois meio tomatinho cereja, uma folhinha de manjericão e palito...

Servido com um creme de balsâmico...redução de acetto balsâmico com açucar mascavo e faça sucesso, sem ter trabalho nenhum!

Gostaram? Fácil né?

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Mousse de Limão Siciliano e chocolate branco


A Tati fez assim,   A Iliane fez assim, e  a Fabiana fez assim...e eu também quis experimentar...
Uma sobremesa leve, que une o sabor cítrico do limão com a doçura do chocolate...
Super fácil de fazer, tem um visual bem bonito, e agrada a todos...Faz você também!
Olha como é fácil:

Abaixo, a receita da Fabi, que eu segui, e compartilho com vocês! 

Ingredientes:
(para 4 porções )

180g de chocolate branco picado ou ralado
1 lata de creme de leite light
1/2 lata de leite condensado
suco de 1 limão siciliano e 1/2
raspas de casca de limão siciliano para enfeitar

Modo de Preparo:
Derreta o chocolate branco em banho maria. Assim que estiver derretido passe para uma batedeira e junte o creme de leite, o leite condensado e o suco de limão siciliano. Bata durante alguns minutos em velocidade média até que perceba que a mistura se tornou um creme consistente e homogêneo. Desligue e passe para potinhos ou copinhos individuais. Leve à geladeira por 2 horas ou até o momento de servir. Enfeite com raspas de limão siciliano.Rale a casca do limão siciliano, envolva em papel alumínio e leve ao congelador até o momento de servir. Ficarão bem geladinhas e crocantes. O azedinho da casca combina muito bem com o docinho da mousse."