sábado, 2 de outubro de 2010

Vamos rir um pouco...Afinal, hoje é sábado!

Enterro em Cuba...(Dizem que aconteceu de verdade...kkkkk!!!)

Toda a família em Cuba se surpreendeu quando chegou de Miami um caixão
com o cadáver de uma tia muito querida.
O corpo estava tão apertado no caixão que o rosto estava colado no visor de cristal...
Quando abriram o caixão encontraram uma carta, presa na roupa com um alfinete, que dizia assim:
Queridos Papai e Mamãe:
Estou lhes enviando os restos de tia Josefa para que façam seu enterro em Cuba, como ela queria.
Desculpem por não poder acompanhá-la, mas vocês compreenderão que tive muitos gastos com todas as coisas que, aproveitando as circunstâncias, lhes envio.
Vocês encontrarão, dentro do caixão, sob o corpo, o seguinte:

12 latas de atum Bumble Bee,
12 frascos de condicionador,
12 de xampu Paul Mitchell,
12 frascos de Vaselina Intensive Care 
(muito boa para a pele. Não serve para cozinhar!)
12 tubos de pasta de dente Crest,
12 escovas de dente,
12 latas de Spam das boas (são espanholas),
04 latas de chouriço El Miño.

Repartam com a família, sem brigas! 

Nos pés de titia estão um par de tênis Reebok novos, tamanho 39, para o Joseíto (é para ele, pois com o cadáver de titio não se mandou nada para ele, e ele ficou amuado).
Sob a cabeça há 4 pares de "popis" novos para os filhos de Antônio, são de cores diferentes (por favor, repito não briguem!)
A tia está vestida com 15 pulôveres Ralph Lauren, um é para o Robertinho e os demais para seus filhos e netos.
Ela também usa uma dezena de sutians Wonder Bra (meu favorito), dividam entre as mulheres;
Também os 20 esmaltes de unhas Revlon que estão nos cantos do caixão..
As três dezenas de calcinhas Victoria's Secret devem ser repartidas entre minhas sobrinhas e primas.
A titia também está vestida com nove calças Docker's e 3 jeans Lee.
Papai, fique com 3 e as outras são para os meninos.
O relógio suíço que papai me pediu está no pulso esquerdo da titia.
Ela também está usando o que mamãe pediu (pulseiras, anéis, etc).
A gargantilha que titia está usando é para a prima Rebeca, e também os anéis que ela tem nos pés. 
E os oito pares de meias Chanel que ela veste são para repartir entre as conhecidas e amigas, ou, se quiserem, as vendam (por favor, não briguem por causa destas coisas, não briguem).
A dentadura que pusemos na titia é para o vovô, que ainda que não tenha muito o que mastigar, com ela se dará melhor (que ele a use, custou caro).
Os óculos bifocais, são para o Alfredito, pois são do mesmo grau que ele usa, e também o chapéu que a tia usa.
Os aparelhos para surdez que ela tem nos ouvidos são para a Carola.
Eles não são exatamente os que ela necessita, mas que os use mesmo assim, porque são caríssimos.
Os olhos da titia não são dela, são de vidro.
Tirem-nos e nas órbitas vão encontrar a corrente de ouro para o Gustavo e o anel de brilhantes para o casamento da Katiuska. A peruca platinada, com reflexos dourados, que a titia usa também é para a Katiuska, que vai brilhar, linda, em seu casamento.
Como vocês repararam o caixão é de madeira boa (não dá cupim); podem desmontá-lo e fazer os pés da cama de mamãe e outros consertos em casa.
O vidro do caixão serve para fazer um porta-retrato da fotografia da vovó, que está, há anos precisando de um novo.
Com o forro do caixão, que é de cetim branco (US$ 20,99 o metro) Katiuska pode fazer o seu vestido de noiva.
Na alegria destes presentes, não esqueçam de vestir a titia para o enterro!!!

Com amor,
 
Carmencita.

PS1: Por favor, arrumem uma roupa para vestir a tia para o enterro e mandem rezar uma missa pelo descanso de sua alma, pois realmente ela ajudou até depois de morta.

PS2: Com a morte de tia Josefa, Tia Blanca caiu doente.
Façam os pedidos com moderação:
Bicicleta não cabe nem desmontada e carburador de Niva, modelo 1968, aqui ninguém ouviu falar.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Risoto de Radicchio e Linguiça

Um risoto é algo sempre benvindo na minha mesa...fácil de fazer, como eu sempre digo, é aquela comida que aquece o corpo e o coração da gente...

Hoje fui de radicchio, essa folha que mais parece um repolho, e ainda é pouco conhecida e utilizada por nós aqui no Brasil, mas que vale à pena ser mais consumida, pois além de muito bonita, é cheia de vitamina e muito saborosa.

Vamos ao risoto, que é assim...

Ingredientes:

400gr de lingüiça de sua preferência
380gr de arroz carnaroli
200gr de radicchio cortado à juliana, ou rasgado em pequenos pedaços
50gr de manteiga
6 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
2 colheres (sopa) de azeite extravirgem
1 xícara de vinho branco, ou tinto, se você preferir (como foi o meu caso)
1 ½ litro de caldo de carne
½ cebola pequena picada
sal e pimenta branca do reino à gosto

Modo de Fazer:

Aqueça o azeite na panela em fogo alto.
Adicione a cebola e doure por alguns minutos.
Junte a lingüiça e o radicchio e doure mais um pouco.
Acrescente o arroz e refogue por alguns minutos.
Coloque o vinho e deixe evaporar em fogo alto.
Aos poucos, vá adicionando o caldo de carne quase em ponto de fervura.
Cozinhe por cerca de 15 minutos, mexendo de vez em quando.
Adicione mais caldo à medida que o arroz for secando.

Tire do fogo.

Acrescente a manteiga e o queijo parmesão. Misture bem.
Deixe descansar por 2-3 minutos na panela e sirva.

Se você gosta tanto assim de risoto como eu, vale à pena dar uma olhada nessas receitas aqui:

Risoto de Camarão e Limão Siciliano

Risoto de Funghi Secchi

Risoto de Aspasgos e Parmesão

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pão de Vinho e Nozes da Verena

Eu adoro pães rústicos, e sempre que posso prefiro fazê-los, e apesar do pessol de casa não gostar, não vejo problema, porque é bom ter meu pãozinho me esperando pro café da manhã, ou pra um sanduíche bem gostoso. 

Esta receita peguei emprestada da minha querida Verena, do ótimo mangiachetefabene, apesar de usar farinha de centeio não fica um pão de massa pesada, e  a mistura das nozes com o vinho formam um casamento perfeito!

Eu adorei, e, se você gosta de um pão assim, faz também, é muito bom! 

A receita: 

Pão de vinho e nozes (adaptado do Dan Lepard) 
200g farinha de trigo branca
100g farinha de centeio
1 colher (chá) de sal
30g de fermento fresco para pão
125ml de vinho tinto
75ml de água
50g de noz  pecan em pedaços grandes
100g de noz pecan picadas
2 colheres (sopa) de azeite 

Misture as farinhas, sal e fermento numa tigela. Reserve.
No liquidificador bata o vinho, a água e 50g das nozes com o azeite. Junte essa mistura aos secos na tigela.
Acrescente as nozes picadas e misture até que fique uma massa meio grudente. Cubra e reserve por 10 minutos.
Unte com óleo a superfície de trabalho e suas mãos e trabalhe a massa por 10/15 segundos.  Coloque de volta na tigela e cubra novamente por 10 minutos.  Repita a sova de  10/15 segundos e deixe a massa descansar na tigela (coberta) por 45 minutos ou até que dobre de volume.
Unte uma forma de pão com manteiga e trigo e modele o pão com a emenda da massa para baixo.  Cubra e deixe crescer por mais uma hora.
Polvilhe um pouco de trigo e faça talhos na massa com um estilete ou gilete.  Asse em forno pré-aquecido por 40 minutos ou até que esteja dourado e e ao bater no fundo do pão saia um som oco.  Deixe esfriar numa grade.

Se você gosta de fazer pães em casa, posso sugerir Essa receita de pão australiano, ou este pão rústico de azeitonas

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Série Cidades de Sonho - Flavigny-sur-Ozerain

Hoje, dia 27 de Setembro, quando é comemorado o Dia Mundial do Turismo, gostaria de inaugurar aqui, uma série de postagens que vou chamar "Cidades de Sonho"

A minha intenção é mostrar aos leitores cidades pitorescas ao redor do mundo. Podem não ser cidades conhecidas, nem tampouco famosas, mas são cidadezinhas, ou pequenas vilas, que de alguma maneira nos fazem sonhar!

Pediria aos meus leitores que também apreciam o tema, que me enviassem participações do que é pra você uma "cidade de sonho"...quem sabe até a cidade onde você mora? Minha intenção é publicar a sua participação aqui no EternosPrazeres, que tal?

Pra dar início à esta série, gostaria de mostrá-los essa pequena cidade francesa, que tem tudo a ver com um dos meus maiores prazeres: gastronomia...vamos até...

Nem os franceses sabiam da existência de Flavigny-sur-Ozerain antes de Chocolate chegar às telonas, em 2000. "Muita gente imaginava que era cenário cenográfico", contam, inconformados, os moradores. A beleza perfeita de Flavigny surge logo na primeira cena, quando Vianne Rocher (interpretada por Juliette Binoche) caminha com a filha pelas ladeiras do pacato - e recatado - vilarejo medieval. É na praça principal, bem na frente da igreja, que ela abre uma loja de chocolates, atitude considerada herética pelos moradores. Hoje, a praça está lá, exatamente como no longa, mas a casa onde funcionava a loja foi abandonada. Ali, Vianne produzia delícias que mudavam a vida, os corações e as mentes dos habitantes da vila.
Flavigny-sur-Ozerain surge em meio a bosques verdes onde pasta o gado charolês. As torres da igreja, os telhados radiantes de sol e parte das muralhas cobrem o alto da colina. Assim, de longe, parece uma tela. O carro então para em uma das curvas da estrada: inevitável registrar essa primeira imagem, ainda que a quilômetros de distância.

As curvas seguem revelando outros ângulos até a entrada da cidadezinha francesa, na região da Borgonha. A partir daí, o turista descobre Flavigny caminhando. Sobe e desce ladeiras de paralelepípedo espremidas entre casebres de pedra. Flores coloridas nas fachadas. Portas baixinhas, todas trancadas. Faz frio. Ninguém nas ruas - Flavigny não tem mais que 300 habitantes -, a não ser as duas senhoras que arriscam um passeio com o vira-lata.

 
pam5221.skyrock.com
A segunda imagem dá a impressão de que a vila ficou perdida nos tempos medievais. Uma ruela leva à igreja, na praça principal. De repente, um déjà vu. A praça é o cenário do filme Chocolate (2000), estrelado por Juliette Binoche, a forasteira que abriu uma loja de chocolates na conservadora cidade.
Flavigny é assim cenográfica, mas foi por outro doce que se tornou mundialmente famosa: as balas de anis, vendidas também no Brasil. A tradição vem de 1591, quando monges começaram a fabricar a guloseima na Abadia de Flavigny. Depois da Revolução Francesa, diversas famílias locais decidiram continuar a produção. A de Catherine Troubat, Les Anis de Flavigny, é hoje a única que mantém a fábrica na abadia, seguindo à risca a receita original.
Catherine é a quarta geração dos Troubat à frente da produção - são 250 toneladas de balinhas por ano. É ela quem guia os visitantes pela fábrica. Mostra os centrifugadores onde o grão de erva doce recebe sucessivas camadas de açúcar e, depois, os aromas de rosa, alcaçuz, menta, violeta e limão. Os doces são embalados em latinhas com desenhos inspirados numa história de amor. Na loja da fábrica, cada uma custa 2,30 (R$6). A venda dos anis de Flavigny patrocina a restauração de ruínas romanas descobertas na abadia.
Reportagem de:
Camila Anauate - O Estado de S.Paulo
Imagens da internet

domingo, 26 de setembro de 2010

Biscoitos de Polvilho

Biscoito de Polvilho é uma "coisa" bem mineira...aqui é tradição, a chamada "quitanda mineira"...tem em qualquer casa que você chegar...pra tomar com café, uma maravilha!

Cada um tem a sua receita, essa é a que mais faço aqui em casa...não tem mistério nenhum, rende um tantão de biscoito, então, se sua família é pequena, faça a massa e congele em porções, você terá biscoitos fresquinhos sempre que quiser!

Lembrei desses biscoitos ao ler o post da nossa querida Rachel, do blog Na Biroskinha, que também fez deliciosos biscoitinhos de polvilho...
Então, esta é a minha sugestão pro café da manhã do seu próximo final de semana, porque agora já é hora do almoço...

Desejo bom apetite a todos, e um ótimo resto de domingo!

Biscoito de Polvilho

Ingredientes:

- 300ml de óleo
- 300ml de leite (para ferver)
- 1kg polvilho doce
- 1 colher (sopa) de sal
- 4 ovos
- Aproximadamente 500ml de leite (frio)*

Modo de Preparo:

Ferva o óleo com o leite e desligue o fogo. Numa vasilha, coloque o polvilho, acrescente a mistura fervendo, coloque o sal e mexa com uma colher de pau. Espere esfriar. Adicione os ovos, mexa até formar uma farofa. Acrescente o leite frio aos poucos e continue mexendo por mais ou menos 20 minutos, até chegar ao ponto de pingar. Coloque no saco de confeiteiro com bico, ou no próprio saquinho do polvilho vazio (corte uma beradinha) e modele seus biscoitos do tamanho desejado sobre uma assadeira ligeiramente untada com óleo. Leve ao forno quente e deixe assar durante 15 minutos na temperatura de 180ºC ou até dourar.

*Dependendo da marca do polvilho que você usar, poderá precisar de diferentes quantidades de leite e até mesmo não utilizar leite nenhum