sábado, 12 de fevereiro de 2011

Intense Chocolate Cookies, by Nigella

 
Estes cookies já são velhos conhecidos dos cookie fans...na receita original, que eu já tinha feito algumas vezes, decidi trocar as gotas de chocolate meio amargo por gotas de chocolate branco...e ficaram deliciosos do mesmo jeito...mais suaves, mais docinhos, diferentes!

Se você ainda não tem a receita, anote depressa, quem sabe ainda dá tempo de prepara-los pro seu café da manhã?
  • 125 g de chocolate amargo com 70% de cacau
  • 150 g de farinha de trigo
  • 30 g de cacau, peneirado
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 125 g de manteiga em temperatura ambiente
  • 75 g de acúcar mascavo peneirado
  • 50 g de açúcar
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 1 ovo, ainda gelado
  • 350 g de chocolate meio-amargo em gotas ou pedacinhos (eu troquei por gotas de chocolate branco)
Preaqueça o forno a 170 graus. Derreta o chocolate amargo no microondas ou em banho-maria. Numa tigela, misture a farinha, o cacau, o bicarbonato de sódio e o sal. Em outra tigela, bata a manteiga, o açúcar mascavo e o açúcar comum. Junte o chocolate derretido e misture bem. Ainda batendo, junte a essência de baunilha e o ovo gelado. Misture os ingredientes secos que estavam reservados e, por fim, acrescente o chocolate picado. Forme 12 cookies - a melhor maneira é usar uma colher de sorvete para pegar a massa- e coloque-os numa assadeira forrada com papel manteiga, com um espaço de cerca de 6cm entre cada biscoito. Nao nivele a massa. Asse por 28 minutos.Teste com um palito para ver se a massa está assada; o palito não pode sair molhado. Se por acaso você espetar um pedaço de chocolate, tente de novo. Deixe os cookies esfriarem na própria assadeira por 4 a 5 minutos, depois transfira-os para uma grade, para que endureçam à medida que esfriam.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Pãozinho de Cenoura com recheio de goiabada

No meio da bagunça do meu computador, achei essa foto, com a deliciosa receita dos bons tempos do Cybercook. A foto horrível não mostra, mas são maravilhosos pãezinhos de cenoura bem macios, com recheio de goiabada. Nada impede que você recheie de outra coisa, queijo talvez, ou não use recheio, tenho certeza que vão ficar ótimos também!

Cozinhe 1/2kg de cenouras.

Massa:

Bater no liquidificador:

3 ovos inteiros
1 xícara(chá) de leite morno
1 xíc.(chá) de açúcar
1 xícara(chá) de óleo
1 pitada de sal
2 tabletes de fermento fresco

Bata bem e junte a cenoura cozida, bata mais um pouco até formar uma mistura homogênea.
Coloque tudo numa bacia e vá juntando farinha de trigo, até formar uma massa maleável.
Não coloque muita farinha, deixe a massa meio mole.
Faça os pãezinhos pequenos com as mãos untadas em óleo, e se quiser poderá recheá-los com pedaços de goiabada.
Se você não quiser, aumente um pouco do sal, e recheie com queijo, opções não faltam...use a imaginação!
Coloque em assadeira para crescer.Antes de assá-los passe manteig misturada com gema e leve para assar.

Tire-os do forno quando estiverem assados e dourados...coloque na gradinha para esfriar, e delicie-se! Bom dia pra você!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Coma depois de usar...Acessórios muito criativos

Os acessórios fotografados pelo italiano Fulvio Bonavia são para comer...com os olhos...Veja que interessante...Em seu livro de fotografia de moda intitulado "A Matter of Taste", o fotógrafo italiano premiado mostra-nos uma série de fotos criativas de acessórios comestíveis ...todos muito atraentes, usáveis, e deliciosamente chics! Dá uma olhada!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Bolo maravilhoso de castanha do pará e damascos

 
Receita maravilhosa de bolo que eu encontrei na deliciosa cozinha da Vice, onde só tem comida boa e da melhor qualidade! 
A mistura dos damascos com a castanha resulta num bolo úmido, e com uma textura bem macia. A calda que vai por cima pode parecer dispensável, se você como eu prefere um pouco menos de açúcar,mas se você fizer, verá que está enganado, ela dá o toque final que o bolo precisa! Faça, mil vezes recomendo, um sucesso, você vai ver! 

Ingredientes:

Massa:
4 ovos (coloquei ovos caipira)
2 xícaras (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de óleo
1 xícara (chá) de leite
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
1/2 xícara (chá) de castanhas-do-Pará picadas
1/2 xícara (chá) de damascos picados

Calda:
1 xícara (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de suco de laranja
1/4 xícara (chá) de damascos picados
Massa:
Bata no liquidificador os ovos, o açúcar, o óleo e o leite.
Trasfira para uma tigela e misture a farinha de trigo, peneirada com o
fermento em pó.
Junte e misture a castanha-do-Pará e o damasco.
Coloque a massa em fôrma de furo central untada e enfarinhada e leve ao
forno preaquecido por cerca de 40m.

Calda:
Leve ao fogo o açúcar e o suco de laranja. Deixe ferver até formar uma  calda rala, junte os damascos e ferva por mais 1 minuto.
Retire o bolo do forno, espere esfriar, desenforme e regue com a calda. 

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Punta del Leste - Casapueblo

Estava eu dando uma "limpeza" no meu computador e me deparei com essas fotos que foram tiradas em uma viagem a Punta del Leste, Uruguay, há um ano atrás aproximadamente.
Punta é um balneário muito famoso por diversas razões, mas uma das atrações que me chamou maior atenção na cidade foi este misto de museu, galeria de arte, e hoje hotel e restaurante chamado CasaPueblo pelo seu idealizador, o artista uruguaio Carlos Páez Vilaró.
A casa parece ter algo de Antonio Gaudí ou de Salvador Dalí. Uns até dizem que é uma casa "muito engraçada". O fato é que ninguém sai incólume dali. Cada viajante terá um palpite sobre qual referência arquitetônica lembra a Casapueblo. O estilo da construção branca em cima de uma encosta em Punta Ballena tem nome: Carlos Páez Vilaró.
Com vista para o mar e um pôr-do-sol de deixar qualquer um estupefato, a casa começou a ser erguida nos anos 50 por Vilaró e foi tomando proporções esculturais. Toda branca por fora, ela tem formas arredondadas e um quê psicodélico, que se estica do topo do morro quase até o mar.
Tudo começou com uma casinha de lata, em 1958, para ser o ateliê do artista. Decorada com grafismo à beira do precipício, chamava a atenção dos pescadores. Da casa de lata, que virou de madeira e passou a ser coberta dois anos depois com cimento, o ateliê foi ganhando forma marcante. Feito a mão, foi se estirando. Hoje, o local, além de guardar sua oficina de criação e sua morada, abriga um hotel com 70 quartos, que se debruça para o mar.
É curioso saber a origem dos versos "era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada" de Vinícius de Moraes, amigo de Vilaró, e que passou uns tempos na Casapueblo. A tal da casa, na trova improvisada pelo poetinha numa manhã diante do mar para as filhas do artista, dizia no contexto: "Mas era feita com pororó, era a casa de Vilaró"
A melhor hora para estar em Casapueblo é, sem dúvida, no entardecer. Todos os dias, religiosamente, acontece a cerimônia do pôr-do-sol em horários diferentes. Com a chegada do verão, o horário é cada vez mais tarde. Durante alguns minutos, os visitantes rumam para a varanda e começam a ouvir uma narração do artista gravada em fita.
"É uma conversa com o sol, meu amigo mais antigo", explica Vilaró. O companheiro de anos, segundo ele, é o astro com o qual, não importa em que parte do mundo estivesse em suas viagens, sempre encontrava. "Te encontrei no Taiti e na África, estou te olhando e vejo que não mudou", diz a fita.
Durante a cerimônia, o silêncio paira e ouve-se o assovio do vento. O sol surge forte e, com o final das palavras gravadas, desaparece. A cena é nostálgica e combina com tudo o que há na Casapueblo.
Infelizmente eu não pude ficar para ver o por do sol, mas posso imaginar como seria maravilhoso...se você for, por favor, assista a este magnífico espetáculo por mim!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Lombo de porco com um molho especial

Nada mais fácil do que esse molho pra marinar carne, são só cinco ingredientes, que voce vai medir numa xícara de café ou de chá conforme a quantidade de carne. Para um lombo de porco de 1,5 kg mais ou menos coloquei uma xícara de chá de cada, mas como eu disse, as quantidades são adaptáveis. E a quantidade de sal também, caso queira mais salgado é só acrescentar um pouquinho de sal.

-ketchup
-molho de soja
-azeite
-caldo de carne (se usar o cubinho já dissolver em água fervente)
-mostarda
Você mistura os cinco, como se fosse uma marinada, passe em toda a carne, e deixa descansar na geladeira por algumas horas, ou de um dia para o outro. Depois é só levar ao forno coberta com papel alumínio, e depois de assada tirar o papel pra dourar. Fácil demais né?
Será que eu expliquei direitinho?Ok, se você não entendeu me manda um email, terei o maior prazer em explicar melhor ok?

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Un dimanche ensoleillé

 
Prezados leitores, O Eternos Prazeres hoje está na piscina...o domingo está lindo, o sol brilha lá fora, e o calor é de "matar"...Aproveite você também, bom dia!