sábado, 9 de julho de 2011

...Se você for a Paris...Le Marché des Enfants Rouges

Essa dica veio da da minha querida amiga Léia, pois eu ainda não conhecia essa preciosidade...um achado no Marrais, em Paris.
Este mercado, tombado pelo Patrimônio Histórico, não é nem de longe uma atração turística da Cidade Luz, muito pelo contrário...aqui não vi nenhum turista, apenas parisienses alegres e famintos procurando uma mesa para um descontraído almoço de sábado!
Saiba um pouco mais sobre este "petit, mais trés agréable" mercado do Marrais. 

"Le Marche des Enfants Rouges é o mercado mais antigo de alimentos em Paris, construída em 1615 sob o governo do rei Luís XIII. O nome significa literalmente "Mercado das Crianças Vermelhas" e na minha pesquisa tudo o que eu encontrei foi o nome vem de um orfanato nas proximidades do século 17 onde as crianças usavam uniformes vermelhos. Localizado na parte norte do bairro chic do Marais, em Paris, Le Marche des Enfants Rouges é um mercado compacto, indoor, que tem na entrada um portão de ferro pequeno que é fácil de perder caso você não esteja prestando atenção."
Aqui você pode escolher o que deseja comer: pequenos restaurantes vendem comida de toda parte: me lembro bem da comida libanesa, das Antilhas Francesas, japonesa, italiana, e finalmente, aquela que eu estava "louca" para experimentar, a comida marroquina...sensacional!
Aqui, pequenos detalhes do "traiteur marocain"...restaurante familiar onde o simpático "Moumou" atende seus clientes de uma maneira "trés sympa'!
Na saída do Marché, flores, afinal, elas também fazem parte do cotidiano parisiense!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Little Mocha Kisses

Esses deliciosos biscoitinhos eu vi no http://bembons.blogspot.com, da Rita, a quem eu agradeço a deliciosa receita!
Como vocês já sabem bem, não consigo resistir aos acompanhamentos pro meu cafezinho de todo momento.
Confesso e sei que os meus exemplares saíram um pouquinho bronzeados, prometo que da próxima vez eu terei mais cuidado ok?
Não se impressionem com os meus, de fato esses biscoitinhos são uma verdadeira perdição!
175 gr de farinha auto levedante (com fermento)
75 gr de açúcar
75 gr de manteiga
1 colher de chá de café em pó
1 colher de chá de chocolate em pó
1 colher de chá de água quente
1 ovo

"Pré aquecer o forno a 180ºc e forrar 2 tabuleiros com papel vegetal ou com tapete de silicone. 
Numa tigela misture a farinha, o açúcar e a manteiga com a ponta dos dedos até ficar com aspecto de areia fina. 
Misturar o café com a água quente e depois juntar o choclate em pó. 
Adicionar o ovo ao café e mexer para ficar homogéneo. 
Juntar a mistura da frainha a esta ultima e amassar até estar uma massa moldável. 
Numa superficie enfarinhada com açúcar em pó (eu fiz com farinha), estender a massa até estar com uma espessura de 5mm. 
Com os cortadores ir cortando a massa e dispondo nos tabuleiros. 
Vai ao forno por 10-15 minutos até dourarem levemente.. 
Depois de esfriarem um pouco passa-los para uma rede metálica"

    quinta-feira, 7 de julho de 2011

    Rosca Rápida de Leite Condensado

    Uma receita antiga, dessas que a gente sempre repete, por que é fácil, e porque sempre agrada!
    Você pode bater os ingredientes no liquidificador, e depois só vai acrescentar a farinha...muito tranquilo. 
    Se gosta de fazer pão a mão como eu, é uma oportunidade de trabalhar os braços e fazer um pequeno exercício...se prefere a MFP, é uma maravilha...o único trabalho vai ser modelar os pães e colocar pra assar!
    A receita: 
    - 01 lata de leite condensado 
    - 30g de fermento fresco ou 10g de fermento granulado para pão
    - metade da medida da lata de óleo
    - 04 ovos inteiros
    - + ou - 1 kg de farinha de trigo
    - gema de ovo para pincelar 
    - açúcar cristal para polvilhar

    Coloque no liquidificador o leite condensado, a mesma medida da lata de água morna, o femento, o óleo, e os ovos. Transfira a mistura para uma vasilha e comece a acrescentar a farinha, aos poucos, misturando bem com as mãos até que a massa não grude mais. 
    Sove a massa durante 10 minutos, até que fique macia, com a superfície lisa e elástica.
    Deixe descansar em superfície untada e protegida até que dobre de volume
    Amasse novamente, para que as bolhas de ar sejam removidas, e forme as roscas como desejar
    Deixe crescer novamente, pincele com gemas e polvilhe com açúcar cristal
    Leve a assar em forno pré aquecido

    terça-feira, 5 de julho de 2011

    Meia Noite em Paris - um Woody Allen do jeito que eu gosto

    Se você como eu é um apaixonado pela Cidade Luz, e apesar de todos os pesares e esquisitices do famoso diretor, curte bastante seu estilo...por favor, não deixe de ver esse filme... 
    Será que a Paris dos anos 20 era mais linda e romântica que a Paris atual? Veja o filme, depois a gente discute!

    "Paris já foi contemplada com uma carta apaixonada através de Todos Dizem Eu Te Amo; que além de homenagear a cidade mais romântica da Europa, fazia reverenciava aos grandes musicais. Mas agora, a Paris apaixonada e musicada dá lugar a uma intelectualizada. Em Meia Noite em Paris, Woody volta ao seu gosto nonsense e presenteia os espectadores com possíveis encontros entre os grandes artistas da história da literatura, artes plásticas e da música; em plena Paris da década de 20.
     Na trama, o jovem casal Inez (Rachel McAdams) e Gil (Owen Wilson) visitam a cidade; ele um escritor de roteiros de filmes pipoca, cansado de escrever para Hollywood e ingressado numa jornada em um romance; já ela é prática e quer colher os frutos de ter um futuro marido com estabilidade financeira. Owen é o alter ego da vez. A musa é Paris, que inspira não apenas o cineasta, como seu personagem. Owen parece que sempre fez filmes de Woody Allen, e que sempre gaguejou, que sempre foi niilista e neurótico. E que é um escritor apaixonado pelos artistas da década de 20.
    Já a cidade, parece mais romântica ainda. O longa gira em torno da relação de Gil com Paris, todos os dias à meia noite, ele volta à sua verdadeira Idade do Ouro, a década de 20; e tem encontros fantásticos com Ernest Heminghay, Zelda e Scott Ftizgerald, Pablo Picasso, Gertrude Stein, Cole Porter, Henri Matisse e Luis Buñel. Mas é com Salvador Dalí (Adrien Brody) que ele tem o diálogo mais divertido de toda a trama, onde o tema central são rinocerontes. Brody é outro que incorporou o mestre do surrealismo e mostro sua verdadeira veia cômica."
    http://www.cinepop.com.br