sábado, 29 de outubro de 2011

Veneza, um endereço permanente


Veneza raramente desilude. De todas as cidades, é provavelmente aquela que é mais pintada para os visitantes antes de sequer lá chegar – em livros, em telas, em fotografias e em filmes. E Veneza é mesmo tão maravilhosa como a pintam – cada pedaço belo, romântico, dourado, decrépito e deslumbrante dela. Aqueles cintilantes e translúcidos azuis, amarelos e rosas que vê nos quadros? São reais. Magníficos palazzos, como damas antigas decadentes; abóbadas brilhantes que trazem como contrabandistas um ar do oriente; gondolieri de camisolas às riscas agilmente manobram as suas elegantes gôndolas negras pelos estreitos canais; figuras mascaradas de capas esvoaçantes festejando o Carnaval – é tudo real.
Não há trânsito. O dia-a-dia é feito de barco. A fruta, os móveis e até o lixo são transportados por água. Passos e vozes enchem as ruas e às vezes apenas o silêncio, ou o bater duma proa dum barco de madeira na água, uma orquestra ao ar livre ou um gondolieri a cantar. Longe dos canais, as ruas estreitam-se e formam becos que nem a largura duma porta têm e depois, de repente, se abrem em luminosas praças onde brincam crianças, pessoas tomam café nas esplanadas, donas de casa param para conversar enquanto arrastam os sacos de compras com rodas.
Veneza foi outrora uma cidade muito rica. As suas igrejas e museus estão repletos de algumas das obras de arte mais magníficas de todo o mundo. Mas as mais valiosas recompensas de Veneza são dadas a aqueles que simplesmente se deixam perder nela. 
Não, infelizmente não pude, e nunca poderei, eu acho, fazer de Veneza meu endereço permanente, mas pude fazê-lo por alguns poucos dias...que me foram suficientes...
Apesar da multidão de turistas de todo o mundo, não é difícil viver Veneza, perder-se por suas pequenas ruas labirínticas, suas pontes cheias de histórias...entrar na gôndola só para sentir de perto a emoção de viajar pelos pequenos canais, enquanto o gondoleiro, que já não é mais o mesmo de outros tempos (mas você finge que ainda é) canta um trecho de uma bela canção, enquanto rema com maestria, nessa, que é considerada, a sua "terra".
“Quando eu cheguei a Veneza, descobri que meu sonho havia se tornado inacreditavelmente, mas simplesmente, meu endereço”.
Proferida pelo célebre e polêmico escritor francês Marcel Proust, esta frase resume em poucas palavras o que a cidade de Veneza deveria ser para seus visitantes!
Deixe-se apaixonar por essa cidade maravilhosa e cheia de mistérios...Veneza, para muitos, a mais bela cidade do mundo!
Veja aqui outra postagem sobre Veneza

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Ir é bom, mas voltar é muito melhor!

Esta foto retrata o final de uma viagem...
Onde tudo foi visto, onde tudo foi vivido, onde tudo foi aproveitado ao máximo!
Uma última refeição num quarto de hotel qualquer...numa cidade qualquer...nada mais importa, a comida não tem mais gosto...o vinho está insosso, o coração dói...agora só resta o cansaço...a saudade de casa, e a vontade de voltar...

Agradeço a todos que aqui estiveram, a vocês queridos leitores e amigos que na minha ausência deixaram aqui todo o seu carinho,
Meu abraço, e meu muito obrigada!

Revivendo Prazeres - Canelone de ricota com tomate, azeitonas e manjericão

Quando vi essa receita no programa "Que Marravilha" sabia que precisava provar...e aí está ela, de simplicidade total, mas de sabor inimaginável...
Por favor, se você gosta de uma boa massa, com sabor mediterrâneo, faça correndo, você vai ver que eu não exagerei!

CANELONE
6 folhas de massa para lasanha pré-cozida
800g ricota fresca
160ml creme de leite
2 colheres de sopa de cebolinha francesa picada
azeite
sal
Coloque as folhas de lasanha em água com sal. Deixe cozinhar por 2 a 3 minutos. Retire e jogue imediatamente em água com gelo, para cortar o cozimento.  Seque as folhas com a ajuda de um pano.
Misture bem a ricota, o creme de leite e a cebolinha. Recheie as folhas de lasanha com a mistura e enrole, formando canelones. Coloque-os em uma forma untada com azeite e deixe descansar na geladeira por 2 horas. Leve ao forno pré-aquecido por 8 minutos a 200ºC.


MOLHO
04 tomates sem pele e sementes cortados em cubos
1 cebola roxa picada
16 azeitonas pretas cortadas em lascas
400ml azeite extravirgem da melhor qualidade
suco de 1 limão
pimenta dedo de moça picada
alcaparras a gosto
manjericão picado a gosto
coentro fresco picado a gosto
coentro em grão a gosto
pimenta branca em grão amassada a gosto
sal a gosto
Misture todos os ingredientes.

FINALIZAÇÃO
Disponha os canelones nos pratos e cubra com o molho. Para servir, salpique parmesão ralado.


# série de postagens programadas, estou em viagem

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Revivendo Prazeres - Suspiros

O merengue, também conhecido como suspiro ou meringue, foi inventado no início do século XVIII por Gasparini, um pasteleiro suíço. Trata-se de uma mistura de claras batidas com açúcar ou calda usado na decoração e como base de muitos doces.
A minha receita pros suspiros é sempre a mesma, um merengue suíço, feito da seguinte forma:
Leve ao banho maria - 200ml de claras em temperatura ambiente com 500g de açúcar refinado misturando até que o açúcar tenha se dissolvido completamente e a mistura esteja morna, mas não fervente.
Então retire do fogo e bata na batedeira ou com um fouex até que a mistura esteja completamente fria, clara e brilhante (cerca de 10min + ou -).
Forme os suspiros conforme sua imaginação, leve ao forno (de preferência já desligado mas ainda quente) em assadeiras forradas com papel manteiga untado até que estejam bem firmes - Sujiro que você os deixe lá no forno desligado de um dia para outro!
Ah, prefiro fazer meus suspiros coloridos.
Nesses por exemplo,usei anilina rosa e aromatizei com essência de morango.
Use o que o seu coração mandar: raspas de limão, laranja, baunilha, essência de amêndoa, etc...
# série de postagens programadas, estou em viagem

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Revivendo Prazeres - Filé de Peixe com Molho Branco e Banana

Tá bom, eu sei...receitinha velha, manjadíssima...é...aquele peixe delícia....isso mesmo! mas tá aqui so pra vocês lembrarem dele, porque é sempre tão gostoso...mas por favor, não deixem de fritar as bananas...não façam como eu, que fiquei com preguiça de fritar minhas bananas...mas mesmo assim o peixito ficou foi bom e pronto, isso é que vale!
Faz assim ó: 
 
Pega o filé de peixe que você gosta...tempera com vinho branco, sal, pimenta branca e o que mais você tem costume, uai!
Deixa ele lá, enquanto vai fazendo um molhinho bechamel básico:
 
- 2 colheres de manteiga, deixa derreter, acrescenta 1 colher de farinha, deixa dar uma dourada, bem de leve, por favor...vai acrescentando, aos poucos, (que é pra não empelotar), 1/2 litro de leite, e vai mexendo bem depressa...enquanto engrossa tempera com sal e noz moscada. Tá pronto seu molho branco!
 
Deixa ele ali, mas não esquece de ir mexendo pra não criar aquela película hein?
 
- Coloca azeite e manteiga (em proporções iguais) na frigideira, espera esquentar e vai grelhando o filé de peixe.
 
- Agora, muito importante:
 
Deixa sua preguiça de lado, e faça o favor de grelhar suas bananas ok?
Uma pra cada filé que vc for fazer...
 
Agora sim, com tudo pronto, você pode montar seu prato:
 
- O filé de peixe grelhado, por cima as bananas fritinhas, o molho branco, uma generosa porção de mozzarella ralada e...forno,maçarico, microondas...depende da sua coragem...o importante é que você fique feliz!
 
- Ah, num esquece do verdinho não, tá?

# série de postagens programadas, estou em viagem

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Revivendo Prazeres - Madeleines de Laranja e Cardamomo

Sou fã de madeleines, adoro!!! Aliás, adoro tudo que possa fazer parte do meu cafezinho...Essa receita é do Comida de quinta,que eu também adoro! A Tati tem receitas de muffins, bolinhos, biscoitinhos e afins maravilhosos...vai lá pra você ver!
Laranja com cardamomo? Tem combinação mais gostosa e aromática? Olha só a receita, que delícia! Não fiz o glacê, mas se você não teme a balança como eu, faz sim, vale à pena! 

Ingredientes:
4 colheres (sopa) manteiga
1 colher (sopa) mel
¾ xícara farinha de trigo
1 colher (chá) fermento em pó
1 pitada de sal
¾ colher (chá) cardamomo em pó
¼ xícara açúcar
2 ovos


Glacê: (eu não fiz, coloquei as raspas de laranja na massa, e polvilhei açúcar de confeiteiro)

¾ xícara açúcar de confeiteiro, peneirado
1 colher (chá) raspas de laranja
2 colheres (sopa) suco de laranja 


Derreta a manteiga e misture o mel, mexa bem e deixe esfriar por 10 min. Numa tigela misture a farinha, fermento, sal e cardamomo. Adicione o açúcar, ovos e misture bem. Por último coloque a manteiga + mel e mexa até ficar homogêneo. Cubra e leve à geladeira por 30min. Prepare a forma de madeleines, untando com manteiga, e coloque a massa às colheradas, não se preocupe em nivelar, pois a massa se acomoda ao molde com o calor do forno. Leve ao forno pré-aquecido a 170ºC por 7-8min, ou até dourar. Densenforme e coloque numa gradinha para esfriar.
Para o glacê, misture todos os ingredientes, deve ficar firme e opaco, mas não muito ralo. Depois que as madeleines esfriarem, espalhe o glacê no lado do desenho de conchinhas, espere 15min até o glacê secar.
Rendimento: 12 bolinhos 
  
# série de postagens programadas, estou em viagem

domingo, 23 de outubro de 2011

Revivendo Prazeres - Cerejas flambadas na vodka

Cerejas deliciosamente flambadas na vodka (Raspberry Absolut), mas pode ser um licor, kirsh, conhaque, whisky, ou até cachaça, por que não?  

Ingredientes:
200 g de cereja sem cabo
1 dose de vodka, ou outro destilado da sua preferência
casca de meia laranja pequena (sem a polpa branca)
50 g de açúcar
sorvete de creme
Como fazer:
Corte a casca da laranja em tirinhas. Mantendo o fogo baixo, coloque o açúcar e adicione as tiras. Mexa bem, com uma colher de pau, até que o açúcar comece a derreter, formando uma calda. Acrescente as cerejas e continue mexendo. Quando elas começarem a amolecer, junte a vodka. Flambe e espere que o fogo se apague. Coloque o sorvete no centro do prato,e coloque as cerejas e a calda em volta.   

# série de postagens programadas, estou em viagem